A boa alimentação é algo muito pautado diariamente, seja numa conversa com os amigos e familiares, seja na fila do supermercado. Mas será que realmente as pessoas levam a sério essa atitude? As consequências para quem não se alimenta bem pesa na balança.


Para o esportista, é ainda mais importante ter uma dieta balanceada. Essa, deve possuir todos os grupos de alimentos: água, carboidratos, proteínas, lipídios, vitaminas, fibras e minerais.


A necessidade de energia de um atleta varia muito. Depende não só da atividade física – qual exercício, frequência e duração-, mas também do perfil do jogador – idade, peso e estatura. Essa dieta, ou melhor, estilo de vida, deve ajudar na recuperação e melhorar a performance.

 

Isso porque a boa alimentação e as atividades físicas são fortes aliadas, uma complementa a outra, entenda melhor a ligação entre as duas:

 

  • Os Carboidratos são grandes fontes de energia, o que ajuda o atleta na performance pois diminui a fadiga e não permite a perda da força muscular;

  • As Proteínas são responsáveis pela recuperação muscular, além de atuarem também no sistema nervoso e imunológico;

  • As Fibras ajudam a controlar o nível de açúcar no sangue e reduzir o colesterol. Elas ainda melhoram o funcionamento dos intestinos e previnem doenças cardiovasculares;

  • As Vitaminas e Os Minerais não só regulam enzimas e hormônios, mas também fazem parte da manutenção do ritmo cardíaco, do funcionamento cerebral, do equilíbrio do organismo e da contração muscular;

  • A Água é extremamente importante, principalmente, se tratando de atletas, pois para haver o desempenho máximo e eficaz é necessário a eliminação do calor. Uma das formas de eliminar é por meio das glândulas sudoríparas, ou seja, pela sudorese, mais conhecido como suor. É importante ressaltar que quanto maior a temperatura corporal, também será maior a possibilidade de se lesionar.

 

 

A prática de atividades físicas já traz inúmeros benefícios, como:

  • melhorar a circulação sanguínea;

  • melhorar o sistema imune;

  • ajudar a emagrecer;

  • aumentar o metabolismo;

  • fortalecer os ossos;

  • diminuir o risco de doenças cardíacas (obviamente também aquelas que estão atreladas ao sedentarismo);

  • melhora também a coordenação motora.


Além dos ganhos mentais, por exemplo a auto estima elevada, bom humor e disposição. Alguns estudos, apontam que a prática das atividades físicas pode ajudar também a consolidar a matéria estudada, já que permite o aumento da circulação sanguínea e liberação de substâncias boas para a memória.


A boa alimentação por si só, também constitui um leque de ótimas respostas no organismo. Tais como:

  • aumento da energia,

  • reduz a possibilidades de doenças;

  • melhora a qualidade do sono;

  • melhora a imunidade;

  • retarda o envelhecimento;

  • ajuda na boa memória e concentração;

  • ainda combate o mau humor e a depressão.


Nos parágrafos acima foi possível perceber que tanto a prática de atividades físicas como a boa alimentação são partes importantes da rotina da vida. Muito embora as pessoas não deem muita importância a tais assuntos e permaneçam no sedentarismo e se alimentando mal, é preciso que essas atitudes sejam tomadas para melhorar a qualidade de vida.


Ao aliar os exercícios físicos à boa alimentação, o produto será o melhor possível. Todos os exemplos dados acima, além de outros, estarão presentes na vida tanto dos atletas, quanto dos amadores que souberem seguir a reeducação alimentar e ativos perante atividades físicas.